Você está aqui
Home > Destaques > CAVALO MARINHO. A MELHOR FOTOGRAFIA SUBMARINA 2016

CAVALO MARINHO. A MELHOR FOTOGRAFIA SUBMARINA 2016

Davide Lopresti, fotógrafo italiano, venceu o primeiro prêmio do Underwater Photographer of the year 2016 com “Gold”, uma surpreendente fotografia de um cavalo marinho mediterrâneo. Lopresti concorreu com milhares de outros fotógrafos vindos de todos os continentes.

get_img (1)

1 – Gold, “ouro”, é a cor deste cavalo marinho e também da medalha – simbólica – ganha pelo fotógrafo italiano Davide Lopresti por este belo trabalho. A foto foi realizada nas águas da localidade de Sistiana, perto de Trieste, no mar Adriático. Ali, cavalos marinhos tinham desaparecido completamente. Voltaram à região graças a programas de repovoamento e a rígidos controles da pesca predatória. O júri do concurso se deixou impressionar pelos contrastes cromáticos e a interpretação do sujeito, numa fotografia de longa exposição na qual o animal dá a impressão de estar parado e o fundo de ondas atrás dele parece em movimento. Foto: Davide Lopresti.

get_img (2)

2 – A beleza quase invisível de um embrião de tubarão Scyliorhinus canícula (conhecido como pata-roxa, gatinho ou caneja, a espécie de tubarão mais comum na Europa). O exemplar da foto ainda está no interior da bolsa onde o embrião se desenvolve e permanece protegido. A foto foi realizada nas águas de Devo, sul da Inglaterra. Foto: Dan Bolt.

get_img (3)

3 – Três esponjas bem posicionadas e o contorno escuro do barco compõem o cenário perfeito para a aparição de um tubarão do ventre branco. A foto foi tirada nas imediações da plataforma continental das ilhas Bahamas. Foto: Ier Mane.

get_img (4)

4 – Uma das imagens mais apreciadas da Categoria Grande Angular: Um grupo de baleias-piloto, cetáceos pertencentes à família dos Delfinídeos, mas cujo comportamento lembra mais o das baleias. Curiosas, essas criaturas marinhas se puseram a girar ao redor do fotógrafo, fazendo uma espécie de dança. Foto – Greg Lecoeur.

get_img (5)

5 – Adriano Morettin, que também e italiano, se distinguiu na categoria Macro com esta foto de um camarão-da-actinia (Periclimenes amethysteus) iluminado pela luz solar, como se estivesse sob um refletor. Esta foto é o resultado de uma dupla exposição, de duas fotos diversas – uma do camarão e a outra do Sol. Elas foram justapostas e unidas com cuidado. Foto: Adriano Morettin

get_img (6)

6 – Um gobídeo repousa sobre um coral semelhante a uma pluma (coral da ordem dos Pennatulacea. Uma outra belíssima foto realizada com equipamento macro nos fundais australianos. Foto: Ross Gudgeon.

get_img (7)

7 – Na laguna de Morea, na Polinésia francesa, o mergulhador está sempre cercado por uma grande variedade de vida marinha. Os protagonistas são quase sempre os tubarões de nadadeira dorsal negra menor, os Carcharhinus limbatus. A topografia das montanhas no fundo do mar proporcionou uma cenografia ideal para esta fotografia, classificada em terceiro lugar na categoria Grande Angular. Foto: Greg Lecoeur.

get_img (8)

8 – “Os guardiães da praia”, é o título merecido por esta foto realizada em Playa del Carmen, no México, por um fotógrafo que retornava de um mergulho. Ainda dentro d’água, Alejandro Prieto retratou um bando de gaivotas que voavam baixo em busca de alimento, e que não se deixavam perturbar pelos turistas. Foto: Alejandro Prieto

get_img (9)

9 – Dois exemplares de cavalo marinho comum (Hippocampus guttulatus) nadam lado a lado, conectados pela cauda, sob a luz da Lua. A foto foi tirada nas águas de Taranto, no sul da Itália, por Gianni Colucci. É a terceira colocada na categoria Macro. Foto: Gianni Colucci.

get_img (10)

10 – Uma verdadeira coreografia ao redor de uma gorgonia vermelha está retratada nesta foto feita perto das ilhas de Raja Ampat, na Indonésia. Cardumes de peixes nadam ao fundo e por entre as ramificações dessa verdadeira “floresta” marinha. Foto: Damien Mauric.

get_img (11)

11 – Parece uma fita colorida pega de surpresa quando nadava nas profundidades do abismo. Em vez disso, o que vemos na foto é o corpo cheio de excrescências cutâneas de um peixe-sapo (Rhinopias frondosa) fotografado em Anilao, nas Filipinas. Parte do corpo desse peixe é bioluminescente. A cabeça do animal está à direita. Foto: Qing Lin

get_img (12)

12 – Polvo pelágico. Suspenso nas águas negras do oceano aberto, a centenas de metros de profundidade, uma miríade de criaturas estranhas e maravilhosas tornam-se visíveis quando são atingidas pelo estreito facho de luz da câmera fotográfica. Todas as noites, elas sobem à superfície para se alimentar do plâncton. A fotógrafa mergulhou entre elas, e conseguiu essa imagem de um pequeno polvo pelágico. O animal bateu em retirada e desapareceu segundos depois que a foto foi tirada. Foto: Helen Brearley

get_img (13)

13 – Por estar com sua filha ainda muito pequena, o fotógrafo não pode mergulhar até o lugar onde repousam os restos de um naufrágio nas proximidades da ilha de Curaçao, no Caribe. A única possibilidade era tirar uma foto da superfície. Ele aproveitou a ocasião, e o resultado aí está: ela foi a vencedora na categoria Naufrágios. Foto: Thomas Heckmann.

get_img (14)

14 – Vencedor na categoria Grande Angular, esta foto tirada no lago Kuril, na Rússia, mostra um enorme urso marrom em plena atividade de pesca. O autor, o fotógrafo Mike Korostelev teve de construir uma jaula de metal, dotipo das que se usam para fotografar tubarões, e permanecer dentro dela para evitar um ataque fatal do animal. Esse lago é importante para a migração anual dos salmões. Foto: Mike Korostelev.

Fonte: brasil247

Deixe uma resposta

Top